NOTÍCIAS  ARTIGOS  ENQUETE
Política
Justiça dá 15 dias para secretária de MT devolver carro e documentos do PDT
17/11/2017 às 09:40 / hora de Brasília

A Justiça condenou a secretária adjunta da Casa Civil de Mato Grosso, Julyenne Paolla dos Reis (PSDB), a devolver no prazo de 15 dias uma Mitsubishi L 200, além de outros itens como móveis e documentos, ao seu antigo partido, o PDT.

Ela também terá que pagar R$ 2 mil em honorários advocatícios. A decisão é de novembro de 2016, mas até hoje não foi cumprida.

A Justiça não conseguiu localizar a secretária, em duas tentativas, em fevereiro e maio deste ano. A decisão aponta que Paolla Reis havia “sido eleita secretária geral do partido, sendo responsável diretamente pela guarda dos documentos e da sede partido, entretanto abandonou o cargo, não entregando os pertences que estava sob sua responsabilidade”.  

O mandado de intimação expedido no início de outubro aponta que ela se encontra atualmente em local incerto e não sabido. “Procedi as diligências a Casa Civil do Governo do Estado de Mato Grosso, porém não foi possível dar cabal cumprimento ao mandado, uma vez que a parte requerida Julyene Paolla dos Reis, presta serviços externos, não tendo horários fixos para sua localização, certifico ainda que, não houve o fornecimento de meios. Diante dos fatos, devolvo-o”, disse um dos oficiais de justiça responsáveis por notificá-la.

Segundo a sentença, a secretária adjunta terá que “providenciar a entrega de todo acervo documental, móveis, utensílios e todas as sobras de campanha constituídas de bens, constante da declaração de recebimento de sobras de bens moveis e imóveis, dentre eles, o veiculo Mitsubishi, tipo L-200, 2009/2010", diz a decisão.

A ação foi movida pelo presidente estadual do PDT, o deputado Zeca Viana. O juiz Jorge Lafelice dos Santos ainda determinou multa diária de R$ 200 caso a secretária adjunta não faça a devolução dos bens após ser intimada.

Paolla Reis foi julgada à revelia. Ela integrava o PDT e migrou para o PSDB, acompanhando o governador Pedro Taques, quando este foi para a sigla tucana.

A secretária adjunta foi eleita na última sexta-feira para o cargo de secretária geral do partido. Curiosamente, ela ocupa o mesmo cargo que ela ocupava no PDT, quando abandonou o posto.

FolhaMax